Make your own free website on Tripod.com

    Sorry, your browser doesn't support Java(tm).

O Filme

É o material sensível a luz que utilizamos para capturar as nossas imagens na câmara fotográfica.  Utilizado a mais de um século, passou por diversas evoluções tecnológicas e podemos encontrá-los: negativos, diapositivos ou infravermelhos ( de uso mais restrito), pretos e brancos ou coloridos.  Mas continua com sua principal característica: utilizar os grãos de prata como o material sensível a luz dispersos numa camada de gelatina, que está aderida a superfície transparente do acetato, sendo que entre estas encontra-se a camada anti-halo que evita reflexos da luz que atravessou a emulsão fotográfica. Os filmes atuais possuem o grão mais fino e maior sensibilidade a luz do que os antigos.  Quanto a sensibilidade dos filmes podemos dizer que quanto menor, melhor será a qualidade das suas imagens que apresentarão muito mais detalhamento. Estes são mais indicados para o uso em condições de ótima luminosidade e quando necessitamos de fotos de alta qualidade.  Ao contrário, os filmes de alta sensibilidade a luz produzem fotos com muito menos detalhamento e serão menos adequados a grandes ampliações por causa desta sua característica.  São mais indicados em condições de baixa luminosidade e/ou quando necessitamos de altas  velocidades do obturador para congelar os movimentos rápidos nas nossas fotografias. Podemos dizer que um filme é pouco sensível ou lento quando sua ASA é de 50, 25 ou menos.  Os sensibilidade média possuem ASA em torno de 100.  E os filmes de alta sensibilidade ou velozes tem a sua ASA de valores acima de 400.         Também existem os filmes de ASA variável o XP2 da Ilford pode ser variado de 50 a 800 ASA, podemos até fazer uma determinada foto com ASA 50, uma outra com 200, e assim sucessivamente alternando os valores de sensibilidade do mesmo filme. Cabe esclarecer que este filme é revelado no processo C41, que é o mesmo tipo de processamento dos filmes negativos coloridos vendidos em nosso país. O filme XP2 é preto e branco, mas existem também os coloridos de ASA variável.

         Mas podemos também utilizarmos do recurso de puxar um filme, que significa alterarmos a sua sensibilidade para um valor acima daquele original.  Neste caso isto é feito com filmes de sensibilidade alta.  Por exemplo podemos passar um filme de ASA 400 para um valor de 800, 1600 ou até mais.  Nestes casos acontecerão alterações de contraste e granulação nos filmes puxados.  É importante dizer que esta alteração do valor da ASA deverá ser feita com um mesmo valor para todo o filme.  E que teremos de, no momento da revelação do mesmo, compensarmos este aumento de sensibilidade com uma super-revelação.  Em que aumentaremos o tempo de revelação em 25% a cada vez que dobrar-mos a ASA do filme. 

Os filmes que utilizamos normalmente em nossas câmaras são pancromáticos ou que são sensíveis a maioria das luzes visíveis por nossos olhos.  Mas existem filmes de uso litográfico que não são sensíveis as luzes vermelha e  laranja.

Processamento dos Filmes P e b

Para processarmos filmes, normalmente o fazemos em três etapas distintas: revelação, interrupção, fixação e lavagem. 

O revelador: a imagem que está latente no filme exposto é tornada visível pela ação dos agentes reveladores contidos no revelador. Veja tabelas das temperaturas, concentrações e tempos de revelação logo abaixo.

O interruptor: (composto de ácido acético glacial: 15ml diluído em 1 litro de água) em seguida neutraliza a ação do revelador e pára o processo de revelação; o uso do interruptor aumenta a vida útil do fixador, normalmente o filme fica por 30 segundos em agitação constante e moderada sob sua ação no tanque de revelação.  

O fixador: é utilizado como o último banho químico, e age nas áreas não reveladas eliminando a prata ainda sensível a luz. No fixador Kodak o filme deve ficar por 5 minutos com agitação por 10 segundos em cada minuto. Outros fixadores requerem outros tempos para sua ação, conforme indicações de seu fabricante.

A agitação: é importante dizer que em todas as fases citadas do processamento do filme é feita uma agitação dos químicos no interior dos tanques.  O que visa tornar sempre homogênea a solução em contato com o filme.  Pois se isto não for feito, o químico em contato com o filme poderá se enfraquecer ou mesmo não cumprir sua função por estar desgastado.  A agitação é procedida movimentando-se o tanque de revelação em sentidos opostos e nos intervalos de 30 em 30 segundos para os reveladores durante 10 segundos.  Para o interruptor a agitação é feita durante 30 segundos consecutivos.  E de 60 em 60 segundos de agitação para o fixador, durante 10 segundos.

A lavagem: é feita em água corrente durante 20 a 30 minutos para retirar todos os resquícios dos químicos usados no processamento do filme. Após a lavagem o filme deverá ser secado naturalmente ou em uma estufa apropriada.

         Os químicos citados acima são encontrado em várias marcas. É importante dizer que cada tipo de filme necessita de tempos e temperaturas  adequadas de revelação, que são mostrados em tabelas fornecidas pelos fabricantes, para que se atinja um perfeito processamento do mesmo.

 

 Índice   História e técnicas   Tipos de câmaras    Dispositivos internos    Objetivas e filtros

Filmes e processamento   Tabelas de revelação    Papeis e processamento

 Conservação e Preservação Fotográfica      Fotografia Digital e Bibliografia

< Volta p/ tela inicial